“Deu ruim” mais uma vez para o ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva. O petista foi denunciado novamente (pela 4ª vez) na Operação Lava Jato.

O juiz de Curitiba Luiz Antonio Bonat recebeu denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o petista, o ex-ministro Antonio Palocci e o Presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto.

A denúncia diz que Lula “teria dado aval para que importantes diretores da Petrobras fossem nomeados para atender aos interesses de arrecadação de propinas em favor dele próprio e de outros integrantes do PT, PP e PMDB, com o envolvimento de outros funcionários públicos de elevado status na administração pública”.

Lula também foi apontado como “comandante e principal beneficiário do esquema de corrupção que também favorecia as empreiteiras cartelizadas”, como por exemplo a Odebrecht.

De acordo com as autoridades, o Instituto Lula recebeu R$4 milhões em formato de doação por parte da empreiteira. Operação que ocorreu de Dezembro de 2013 a Março de 2014 e que para o MPF teve como origem contratos fraudulentos feitos junto à Petrobras.

Obviamente a defesa de Lula acha um “absurdo”, “injustiça” e “perseguição” todas as denúncias contra o petista. Em nota, o advogado Cristiano Zanin disse:

“A decisão proferida hoje pela “Lava Jato de Curitiba” é mais um ato de perseguição contra o ex-presidente Lula porque aceitou processar mais uma ação penal descabida, que tenta transformar doações lícitas e contabilizadas para o Instituto Lula – que não se confunde com a pessoa do ex-presidente – em atos ilícitos, durante o período eleitoral, em evidente prática de “lawfare”.

Fonte: Revista Oeste

Deixe seu Comentário